Comandantes militares chineses visitam Coreia do Norte para estreitar relação

China é o principal apoio político e econômico do regime de Pyongyang

24 Outubro 2010 | 06h26

SEUL - Altos comandantes do Exército chinês realizam visita à Coreia do Norte neste fim de semana para estreitar as relações militares entre os dois aliados comunistas, segundo informou neste domingo a agência oficial norte-coreana KCNA.

 

De acordo com a KCNA, o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas norte-coreanas, Ri Yong-ho, ofereceu no sábado, 23, um banquete em homenagem à delegação chinesa, liderada pelo vice-presidente da Comissão Militar Central (CMC) da China, general Guo Boxiong.

 

Os dois altos dirigentes militares assistiram posteriormente a um espetáculo ginástico para comemorar o 60º aniversário da entrada dos Voluntários do Povo Chinês (VPC) na Guerra da Coreia (1950-53), segundo a KCNA.

 

Durante o jantar, Ri, considerado um dos homens-chave do regime norte-coreano, indicou que os laços entre os dois países "foram selados com sangue e cresceram mais durante a guerra de resistência heroica contra os agressores imperialistas americanos, nosso inimigo comum". Guo, por sua vez, se referiu às tradicionais relações de amizade e cooperação entre Coreia do Norte e China, que ajudaram a manter a paz e a estabilidade regional.

 

A China é o principal apoio político e econômico do regime de Pyongyang, onde foi aberto um processo de transição de poder em favor de Kim Jong-un, filho mais novo do líder comunista norte-coreano, Kim Jong-il.

 

Ri Yong-ho, de 68 anos, e Kim Jong-un, com idade estimada de 27 anos, são desde setembro os dois vice-presidentes da Comissão Militar do Partido dos Trabalhadore, e há a expectativa de que o veterano general guie o inexperiente filho do líder norte-coreano em sua carreira militar.

Mais conteúdo sobre:
Coreia do Norte China exército

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.