1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Comunidade judaica realiza eventos em memória às vítimas do Holocausto

- Atualizado: 22 Janeiro 2016 | 17h 40

Ato solene, segunda-feira, na sede da Congregação Israelita Paulista reunirá lideranças judaicas, sobreviventes do Holocausto e autoridades; na quarta, em Brasília, evento na OAB homenageará vítimas do nazismo e promoverá respeito aos direitos humanos

A Federação Israelita do Estado de São Paulo e a Congregação Israelita Paulista (CIP), promovem na segunda-feira, 25, às 18h30, um ato solene em memória às vítimas do Holocausto na sede da CIP.

Além de lideranças judaicas e de sobreviventes do Holocausto, estarão presentes autoridades religiosas, comunitárias e políticas como o prefeito Fernando Haddad, além dos cônsules de vários países.

Judeus homenageiam mortos no Holocausto
Uriel Sinai/The New York Times
Judeus homenageiam mortos no Holocausto

Crianças visitam aquário onde estão expostos brinquedos de crianças judias que foram vítimas do Holocausto, em Yad Vashem, memorial oficial do Holocausto em Jerusalém. A coleção exposta no local contém ainda desenhos e outros pertences de crianças que conseguiram sobreviver à 2° Guerra Mundial

Na entidade também será realizada a exposição "Memórias do Holocausto", com fotos, documentos e objetos cedidos pelo Museu Judaico de São Paulo, que também faz a curadoria da mostra.

Já na quarta-feira, a Confederação Israelita do Brasil (Conib) promoverá, às 19 horas, no sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Brasília, cerimônia pelo Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, solenidade instituída pelas Nações Unidas.

Além da homenagem aos seis milhões de judeus assassinados, serão lembrados especialmente Ben Abraham e Aleksander Laks, que morreram em 2015. Estarão presentes sobreviventes do Holocausto, representantes de outras comunidades vítimas do nazismo e de perseguições e autoridades federais, estaduais e municipais.

A solenidade tem também por objetivo ligar a lembrança histórica do genocídio nazista à promoção dos direitos humanos. Neste ano, o tema escolhido pela Conib é o combate à intolerância.

A data, criada em 2005 pela Assembleia Geral da ONU, marca o dia em que tropas soviéticas libertaram o campo de extermínio de Auschwitz, na Polônia, em 27 de janeiro de 1945. A ONU, em resolução apoiada pelo Brasil, pede aos países-membros que elaborem programas de educação sobre o Holocausto e "condena sem reservas todas as manifestações de intolerância religiosa, de incentivo ao ódio, de perseguição ou de violência contra pessoas ou comunidades por motivos étnicos ou religiosos e rejeita qualquer negação do Holocausto como fato histórico".

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX