Confirmada presença de antraz em carta da Microsoft

O terceiro exame de laboratório de uma carta enviada da Malásia ao escritório da Microsoft em Reno, Estados Unidos, detectou a presença da bactéria antraz, disse hoje, Kenny Guinn, governador do estado de Nevada. A carta foi enviada hoje ao Centro de Controle e Prevenção de Doenças, para que ela seja submetida a novos exames. Até agora, ninguém ficou doente ou teve seu resultado de exame positivo. "Isto representa um risco muito, muito pequeno para a saúde pública", disse o governador. Diretores da Microsoft entraram em contato na quarta-feira com autoridades de saúde para consultas sobre a carta, que havia sido enviada ao escritório da Microsoft Licensing Inc. Mais tarde, investigadores da saúde pública tomaram contato com os empregados da Microsoft para determinar quem poderia ter manipulado a carta, que continha principalmente material pornográfico. Um teste inicial do conteúdo da carta indicou resultados "consistentes" com a presença de antraz, disseram as autoridades de saúde. A segunda prova, mais específica, deu negativa. Por este motivo foi realizado um terceiro exame.

Agencia Estado,

13 Outubro 2001 | 17h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.