Gaza Suhaib Salem/Reuters
Gaza Suhaib Salem/Reuters

Confronto em Gaza já dura dois dias e deixa pelo menos 4 mortos e 300 feridos

‘Levante’ palestino e reação israelense acontecem após Trump reconhecer Jerusalém como capital de Israel

O Estado de S.Paulo

09 Dezembro 2017 | 11h21

Após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciar o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel, as tensões na região, sobretudo na Faixa de Gaza, voltaram a aumentar: levante palestino, ataques aéreos coordenados por Israel e articulação de países da região, membros da Liga Árabe. Até o momento 4 pessoas morreram e mais de 300 ficaram feridas. 

Na quarta-feira, 6, Trump também anunciou a transferência da embaixada norte-americana, hoje em Tel-Aviv, para Jerusalém. O presidente da Palestina, Mahmoud Abbas, não aceitou a decisão. Em comunicado, ele considerou decisão equivocada e afirmou que os Estados Unidos já não podem ser considerados um mediador isento nas negociações, apesar de Trump ter garantido que a medida não impede um acordo de paz.

+++ Questão de Jerusalém aproxima opostos 

Na sexta-feira, reações pelo mundo marcaram o ‘Dia da Fúria’. os palestinos fizeram um “levante” e atacaram Israel no território da Faixa de Gaza, mas acabaram com duas baixas entre os combatentes - dois homens entre 28 e 30 anos, segundo a agência de notícias AFP

Na manhã deste sábado, o confronto seguiu. Ataques aéreos seguiram a reação ao levante e atacaram os palestinos. Mais duas pessoas morreram e há feridos. 

Quanto às questões diplomáticas, o presidente palestino desistiu de encontrar o vice norte-americo Mike Pence. Na Turquia, o mandatário Erdogan que ser o líder das ações contra os EUA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.