AP Photo/Manu Fernandez
AP Photo/Manu Fernandez

Mais de 800 pessoas ficam feridas em confrontos com policiais na Catalunha

No dia da votação do plebiscito de independência, polícia e guarda civil entraram à força em diferentes colégios eleitorais; alguns agentes dispararam contra quem ofereceu resistência

O Estado de S.Paulo

01 Outubro 2017 | 10h56
Atualizado 01 Outubro 2017 | 17h39

MADRI - Mais de 800 pessoas ficaram feridas na Catalunha neste domingo, 1.º, segundo autoridades da Catalunha, após a polícia de choque entrar em confronto com eleitores que se reuniram para votar no plebiscito para a independência da região do restante da Espanha.

+ Plebiscito sobre independência catalã põe em xeque estabilidade da Espanha

O governo regional da Catalunha informou que 844 cidadãos se feriram durante os distúrbios. “Como prefeita de Barcelona, exijo o fim imediato da ações policiais contra a população indefesa”, disse Ada Colau em comunicado. 

Desde o amanhecer, centenas de pessoas haviam se concentrado diante dos colégios eleitorais assinalados pelo governo regional catalão para a celebração da consulta, proibida por Madri. Seu objetivo era votar e "proteger" pacificamente os centros, impedindo a polícia - que tinha ordens de mantê-los fechados - de acessá-los. 

A polícia e a guarda civil entraram à força em diferentes colégios, sobretudo em Barcelona e Gerona, reduto do presidente catalão, o separatista Carles Puigdemont.

Em alguns casos, os agentes dispararam contra quem ofereceu resistência, usando balas de borracha, segundo várias testemunhas. Diversas pessoas que estavam nesses locais compartilharam nas redes sociais imagens dos incidentes, que mostravam alguns manifestantes sendo empurrados pela polícia, ou até mesmo atacados com cassetetes. / REUTERS e EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.