JEFF PACHOUD/AFP
JEFF PACHOUD/AFP

Copiloto da Germanwings tinha apenas 630 horas de voo

Piloto de voo no qual 150 morreram, por sua vez, havia acumulado 6.000 horas de voo

O Estado de S. Paulo

26 Março 2015 | 09h10

FRANKFURT, ALEMANHA - O copiloto do avião da Germanwings, cuja tragédia nos Alpes Franceses deixou 150 mortos na terça-feira, 24, tinha uma experiência prévia de apenas 630 horas de voo. De acordo com o porta-voz da filial de baixo custo da companhia alemã Lufthansa, o copiloto Andreas Lubitz, de 28 anos, havia começado a trabalhar na Germanwings em setembro de 2013. 

O piloto, identificado como Patrick S., por sua vez, trabalhava desde maio de 2014 na companhia e tinha acumulado mais de 6.000 horas de voo, sendo a maior parte delas em aeronaves Airbus. Ele havia trabalhado na matriz da Lufthansa e na linha aérea Condor, também alemã.

De acordo com a Lufthansa, ambos foram treinados na Escola de Treinamento de Voo da Lufthansa, em Bremen. Não foi confirmado, no entanto, se o copiloto teria saído da academia em Bremen e ido trabalhar direto na Germanwings, sem ter passado por outro trabalho antes. 

Em uma coletiva de imprensa em Marselha, na França, o promotor responsável pela investigação do acidente com o Airbus da Germanwings afirmou que copiloto da aeronave estava sozinho na cabine no momento do acidente e iniciou a descida do avião "de forma intencional"

Colegas. Na cidade alemã de Montabaur, colegas do Lubitz disseram que ele não mostrava sinais de depressão quando renovou uma de sua licença de pilotagem no último outono. "Ele estava feliz com o trabalho na Germanwings, no qual estava se saindo bem", afirmou o membro do club de voo livre do qual Lubitz fazia parte, Peter Ruecker. "Ele exalava bons sentimentos."

Lubitz obteve sua licença para pilotar planadores durante a adolescência entrou no programa de treinamento de pilotos da Lufthansa depois de concluir uma difícil escola preparatória, disse Ruecker, que descreveu o colega como um jovem "bastante tranquilo, mas amigável".

Oficialmente, a Lufthansa ainda não identificou o comandante e o copiloto do voo 4U9525, que seguia de Barcelona, na Espanha, para Dusseldorf, na Alemanha. A empresa disse, no entanto, que o copiloto tinha 630 horas de voo e foi contratado em setembro de 2013. Já o comandante do avião tinha mais de 6 mil horas de voo e estava na Germanwings desde maio. Antes ele havia pilotado para a própria Lufthansa e para a Condor. / EFE, AP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.