Cúmplice de McVeigh quer novo julgamento

O adiamento da execução do terrorista Timothy McVeigh, determinado anteontem pelo governo americano, acabou levando Terry Nichols - condenado à prisão perpétua por cumplidade no atentado que em abril de 1995 matou 168 pessoas, em um edifício federal de Oklahoma City - a pedir novo julgamento. "Não teríamos feito isso caso não tivéssemos novas informações", disse Michael Tigar, advogado de Nichols. Ontem, o secretário de Justiça John Ashcroft, que adiou a execução de McVeigh para o dia 11 de junho, disse já ter pedido uma "exaustiva investigação" sobre a falha do FBI. O adiamento da execução foi motivado pelo fato de o FBI não ter entregue aos advogados de McVeigh cerca de 3 mil páginas em documentos sobre o processo. Leia mais no site do JT

Agencia Estado,

13 Maio 2001 | 10h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.