1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Dalai Lama acusa China de 'genocídio cultural'

REUTERS

07 Novembro 2011 | 07h 52

As condições desesperadoras enfrentadas pelos tibetanos sob os rígidos controles do governo chinês equivalem a um "genocídio cultural" e estão por trás do grande número de casos de autoimolação ocorridos no sudoeste da China, disse o líder espiritual exilado do Tibete, o Dalai Lama, nesta segunda-feira.

Ao menos 11 tibetanos atearam fogo ao próprio corpo neste ano em uma região de grande população tibetana na província de Sichuan, na China, que se tornou o foco de resistência ao governo de Pequim.

"Até muitos chineses da China continental que visitam o Tibete têm a impressão de que as coisas estão terríveis... Algum tipo de genocídio cultural está acontecendo", disse o Dalai Lama em coletiva de imprensa em Tóquio.

Autoridades chinesas lançaram uma política linha-dura contra o Tibete nos últimos 10 a 15 anos, acrescentou.

"É por isso que esse tipo de incidente triste ocorre, devido à situação desesperadora", afirmou.

No último incidente, uma monja tibetana se queimou até a morte na semana passada, enquanto outro tibetano sofreu queimaduras em suas pernas na sexta-feira quando ateou fogo ao corpo em frente à embaixada chinesa na Índia.

A China disse que o Dalai Lama, que fugiu do Tibete em 1959 para a Índia depois de uma insurgência fracassada contra o governo chinês, deveria assumir a culpa pelos casos de autoimolação e que os tibetanos estão livres para praticar sua fé budista.

A China governa o Tibete com mão de ferro desde que tropas comunistas invadiram a região em 1950. Pequim condena o Dalai Lama como sendo um simpatizante do separatismo violento, acusação que ele nega.

"Estamos totalmente comprometidos com o princípio de não-violência", afirmou o Dalai Lama, reiterando que quer a verdadeira autonomia para o Tibete, e não a independência da China.

O vencedor do Prêmio Nobel da Paz, de 76 anos, liderou no mês passado centenas de monges, monjas e tibetanos laicos em oração na Índia em luto àqueles que se queimaram até a morte.

(Reportagem de Yoko Kubota)

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo