1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Delegação de 23 congressistas acompanhará Obama em viagem a Cuba

- Atualizado: 15 Março 2016 | 10h 33

Entre os principais nomes da comissão está a líder da minoria democrata na Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, e o senador republicano Jeff Flake, que defende o entendimento entre os países

WASHINGTON - Uma delegação de 23 membros do Congresso dos EUA acompanhará o presidente Barack Obama durante sua visita a Cuba, entre os dias 20 e 22, informaram na noite de segunda-feira, 14, fontes do legislativo americano. Entre os principais nomes da comissão está o da líder democrata Nancy Pelosi e do senador republicano Jeff Flake.

Nancy, líder da minoria democrata na Câmara dos Deputados, encabeçou a primeira viagem oficial a Cuba de uma delegação de deputados, em fevereiro de 2015, e agora voltará à ilha com outros 16 colegas, segundo fontes do Partido Democrata.

Líder democrata na Câmara, Nancy Pelosi, se reúne em Havana com o chanceler cubano, Bruno Rodríguez

Líder democrata na Câmara, Nancy Pelosi, se reúne em Havana com o chanceler cubano, Bruno Rodríguez

Outros nomes já confirmados são os de Steve Cohen, Barbara Lee e Jim McGovern, legisladores que defendem a reaproximação dos dois países e acompanharam o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, na abertura da embaixada dos EUA em Havana, em 2015. Xavier Becerra, Sam Farr, Rosa DeLauro, David Cicilline e Eliot Engel, todos democratas, também estarão na delegação.

A simbólica viagem, depois da reaproximação diplomática entre os dois países iniciada em 2014, será acompanhada também por seis senadores: os democratas Amy Klobuchar, Dick Durbin, Heidi Heitkamp, Tom Udall e Patrick Leahy e o republicano Jeff Flake - os dois últimos responsáveis por uma reunião bipartidária no Capitólio para defender o começo da nova era de entendimento entre Washington e Havana.

A retomada de relações entre EUA e Cuba foi anunciada em 17 de dezembro, quando Obama e o presidente cubano, Raúl Castro, fizeram um pronunciamento conjunto depois de mais de meio século de inimizade. Este processo resultou na reabertura, em julho, da embaixadas em Washington e Havana.

A viagem de Obama a Cuba, a primeira de um presidente americano no cargo em 88 anos, busca ampliar os avanços alcançados até agora com a normalização bilateral e focar nas melhorias das pendências com relação aos direitos humanos na ilha.

Obama, que será acompanhado pela mulher Michelle, deve se reunir com Raúl e manter encontros com os "cuentapropistas", como são chamados na ilha os membros do pequeno setor privado do país, personalidades do mundo da cultura e membros da sociedade civil independente, incluindo os dissidentes.

A Casa Branca não prevê, porém, que o presidente se encontre com o líder da Revolução Cubana, Fidel Castro. / EFE

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX