1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Delta solicita permissão para viajar a Cuba saindo de 4 cidades dos Estados Unidos

- Atualizado: 03 Março 2016 | 09h 10

Companhia americana espera operar rotas para a ilha decolando de Atlanta, Nova York, Miami e Orlando; parceria com a Gol pode facilitar acesso de brasileiros que queiram visitar a ilha

NOVA YORK, EUA - A companhia aérea americana Delta anunciou na quarta-feira que solicitou autorização para iniciar voos diários diretos a Cuba de seus centros em Atlanta, Nova York, Miami e Orlando, após a retomada das relações entre os Estados Unidos e a ilha.

No último dia 16 de fevereiro ambos países assinaram um histórico acordo sobre aviação civil que inclui rotas regulares diretas pela primeira vez em mais de 50 anos a partir do último trimestre deste ano.

Companhia aérea americana Delta solicitou permissão para operar voos para Cuba partindo de Atlanta, Nova York, Miami e Orlando

Companhia aérea americana Delta solicitou permissão para operar voos para Cuba partindo de Atlanta, Nova York, Miami e Orlando

"Esperamos fornecer acesso à ilha a partir dos EUA e ao redor do mundo", disse em comunicado Nicolás Ferri, vice-presidente da Delta para a América Latina.

Como a Delta é parceira da Gol em voos para essas quatro cidades nos EUA, a concessão da autorização pode proporcionar um aumento do leque de opções para os brasileiros que queiram visitar a ilha.

Em 17 de fevereiro foi aberto o processo de licitação para que as companhias aéreas americanas apresentassem suas solicitações ao Departamento de Transporte, prazo que expirou na quarta-feira, e o governo deverá dar-lhes uma resposta antes de 14 de março.

O acordo, que não exclui os voos charter que operam há muito tempo dos Estados Unidos a Cuba, contempla 20 voos diários a Havana e 10 voos diários a outros nove aeroportos na ilha. / EFE

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX