1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Democratas criticam bilionários a favor de republicanos

AE - Agência Estado

10 Março 2014 | 22h 44

Com as eleições ao Senado dos EUA marcadas para novembro, os democratas estão tentando ganhar a atenção da opinião pública ao destacarem os gastos dos bilionários irmãos Koch em campanhas contra Barack Obama. Eles acusam Charles e David Koch de barões do petróleo que investem enormes quantidades de

dinheiro para tentar "comprar" as eleições e avançar com a agenda de baixos impostos e menos regulações às custas do norte-americano médio.

A estratégia dos democratas reside em persuadir os cidadãos de que os irmãos Koch, que raramente aparecem em público, são tão poderosos e prejudiciais que os eleitores deveriam rejeitar os candidatos republicanos que se beneficiam de seus anúncios. Segundo lista da revista Forbes, Charles e David estão empatados como o sexto homem mais rico do mundo, responsáveis por uma fortuna de US$ 40 bilhões cada.

O líder da maioria no Senado, Harry Reid, disse que os anúncios financiados pelos irmãos contrários à lei da saúde de Barack Obama contêm mentiras. "Imagino que se você tem tanto dinheiro, você pode fazer essas decisões imorais. Os irmãos Koch são tão antiamericanos como ninguém que eu posso imaginar", disse, em um recente discurso no Senado.

Geoff Garin, responsável por conduzir pesquisas para os democratas, afirmou que os dados levantados mostram "muito claramente" que as pessoas acham que esses gastos ilimitados não têm nada a ver com liberdade de expressão, e tudo a ver com distorções que ocorrem no governo norte-americano e na política. Garin concluiu que é "preocupante para os eleitores" observarem Koch gastar milhões de dólares para tentar privatizar as pensões federais, reduzir impostos sobre o petróleo ou liberalizar a regulação ambiental.

Os republicanos responderam que bilionários liberais também estão gastando grandes quantidades de dinheiro em política. O ambientalista e gestor de um fundo de hedge Tom Steyer disse que irá gastar ao menos US$ 100 milhões nas eleições deste ano, rebateram os republicanos, enquanto democratas afirmaram que Steyer não irá se beneficiar financeiramente com a agenda de mudança climática.

Recentemente, Reid afirmou que os irmãos Koch não se importam com um forte sistema de educação pública ou com a garantia de seguros de saúde de qualidade e acessíveis ao norte-americanos. "Por quê? Porque os irmãos Koch podem comprar todos esses benefícios e mais para eles mesmos. Eu continuarei falando sobre eles em todas as chances que tiver porque a América não está a venda", disse.

O porta-voz das indústrias Koch, Steve Lombardo, defendeu os anúncios. "É uma infelicidade que Harry Reid está focando os ataques em cidadãos norte-americanos em vez dos problemas que esse país enfrenta", respondeu. As empresas dos irmãos empregam mais de 60 mil pessoas. Fonte: Associated Press.