AP Photo/Evan Vucci
AP Photo/Evan Vucci

Departamento do Tesouro americano modifica sanções à Rússia

Objetivo da medida é facilitar exportação de produtos eletrônicos de empresas americanas; Trump diz que não há alívio em punições

O Estado de S.Paulo

02 Fevereiro 2017 | 17h07

WASHINGTON - O departamento do Tesouro dos Estados Unidos modificou nesta quinta-feira, 2, parte das sanções impostas à Rússia no fim do mandato do presidente Barack Obama, implementadas após o escândalo de ciberespionagem na eleição do ano passado. Foram feitas exceções para a venda de bens e serviços tecnológicos que tem de passar pelo crivo do FSB - o serviço de inteligência do país. 

O presidente Donald Trump e a Casa Branca negaram que a medida seja um alívio nas sanções à Rússia, a maior parte delas imposta durante a crise na Ucrânia. "Eu não aliviei nada", disse Trump em evento na tarde de hoje. A proximidade do republicano com Vladimir Putin tem provocado críticas de democratas e alguns membros do Partido Republicano. 

Segundo o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, a correção feita pelo departamento do Tesouro não significa um alívio nas sanções. Segundo ele a adequação faz parte do "curso normal de ações."

Algumas empresas americanas estavam preocupadas que as sanções dificultassem sua habilidade de vender produtos eletrônicos na Rússia. A FSB controla as licenças de importação desses aparelhos com tecnologia de encriptação. 

O departamento do Tesouro geralmente emite licenças do tipo para ajudare empresas exportadoras a não ser impactadas por sanções. Segundo especialistas no assunto, isso não significa necessariamente uma mudança de política em relação a Moscou. / AP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.