1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Desabamento após explosão deixa 3 mortos em Nova York

O Estado de S. Paulo

12 Março 2014 | 11h 40

Prédios no Harlem foram destruídos em razão de vazamento de gás; pelo menos 63 pessoas ficaram feridas e 9 estariam desaparecidas

Bombeiros tentam apagar incêndio após explosão - Foto: Ozier Muhammad/NYT

(Atualizada às 20h30) NOVA YORK - Pelo menos três pessoas morreram nesta quarta-feira, 12, depois que dois prédios desabaram no Harlem, bairro histórico de maioria latina, após uma explosão causada por vazamento de gás. Segundo autoridades, pelo menos 63 pessoas ficaram feridas - duas em estado grave - e outras 9 continuavam desaparecidas. A identidade dos mortos não havia sido divulgada até a noite desta quarta.

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, classificou o incidente como uma tragédia do pior tipo "por não haver indícios em tempo hábil para salvar as vítimas". De acordo com os registros do Departamento de Habitação de Nova York, em junho, um dos dois prédios refez cerca de 35 metros de sua tubulação de gás, mas não teria nenhuma irregularidade. O outro foi multado em 2008 em razão de rachaduras e não estava claro se o problema foi corrigido.

O porta-voz da empresa de energia Con Edison, Bob McGee, afirmou ao canal de TV NY 1 que a companhia recebeu uma ligação alertando para o possível vazamento de gás às 9h13 (horário local), momentos antes da explosão. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o primeiro chamado foi registrado às 9h31, mas, ao chegarem ao local, as equipes já encontraram os prédios dos números 1644 e 1646 da Park Avenue completamente destruídos.

"Será uma longa operação para termos certeza de que podemos acessar os escombros o mais rápido possível", afirmou o comissário da corporação, Salvatore Cassano, horas depois da explosão e enquanto chamas ainda resistiam aos esforços dos bombeiros. Cães farejadores seriam usados para tentar localizar pessoas sob os escombros.

Em razão da explosão, os trens da linha Metro-North foram suspensos nos dois sentidos por várias horas. "Ontem, sentimos um cheiro forte de gás e tentamos encontrar a fonte do vazamento. Mas, depois que o cheiro passou, fomos dormir", disse Jennifer Salas, de 20 anos, que morava em um dos edifícios atingidos pela explosão. O marido da jovem e o cachorro estavam dentro do apartamento e continuavam desaparecidos. / NYT, AFP e EFE

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo