Dez mil ficam sem alimento após furacão em El Salvador

Pelo menos dez mil salvadorenhos precisam de alimentos com urgência, após a passagem do furacão Ida ter provocado deslizamentos de terra que destruíram lavouras do país. A informação foi divulgada hoje pelo Programa de Alimentação Mundial (WFP, na sigla em inglês) da Organização das Nações Unidas (ONU).Em El Salvador, a Comissão Nacional da Defesa Civil elevou para 144 o número de pessoas mortas na passagem do furacão, que atingiu o país no final de semana passado.

AE-AP, Agencia Estado

10 Novembro 2009 | 20h35

O número de pessoas desabrigadas, no entanto, foi reduzido para 12.930. Pelo menos 60 pessoas continuam desaparecidas. Chuvas pesadas provocaram o transbordamento de doze rios e formaram torrentes de lama que desceram das montanhas ao redor das planícies do país centro-americano, soterrando povoados inteiros.

"As enchentes varreram várias lavouras, casas e povoados", disse Dorte Ellehammer, representante do WFP em El Salvador. "Esse desastre comprometeu a segurança alimentar de milhares de pessoas", afirmou. O WFP disse que 90 toneladas de biscoito altamente energético estarão disponíveis para distribuição nos próximos dias, um suprimento que poderá alimentar 70 mil pessoas por quatro dias.

Outras mil toneladas de alimentos estarão disponíveis no país. Em Verapaz, um dos povoados mais atingidos, no sopé do vulcão Chichontepec, muitos moradores perderam suas lavouras de café e de açúcar. O governo salvadorenho ainda avalia a dimensão dos danos às lavouras e criações de animais.

Mais conteúdo sobre:
furacão Ida El Salvador fome ONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.