David Scott Holloway/EFE
David Scott Holloway/EFE

Diante do 3º debate entre republicanos, Carson lidera pesquisas e Trump cai

Encontro focará em política econômica, fiscal, emprego e inovação; Jeb Bush perdeu muitos eleitores e lida agora com rumores a respeito de cortes das despesas de sua campanha

O Estado de S. Paulo

28 Outubro 2015 | 09h12

WASHINGTON - O terceiro debate televisionado dos pré-candidatos republicanos à Casa Branca, que será transmitido nesta quarta-feira, 28, pela emissora CNBC, terá um perfil mais econômico do que os anteriores. Além disso, terá destaque pois, pela primeira vez, o magnata Donald Trump não chega como líder das pesquisas.

O anteriormente favorito Jeb Bush, ex-governador da Flórida, está muito atrás na preferência do eleitorado e encara o debate em meio aos rumores de que os cortes nas despesas de sua campanha podem significar um final ruim para suas ambições presidenciais.

Bush cortou o orçamento e reduziu o pagamento de seus apoiadores, um sintoma que indica que suas possibilidades de sustentar uma longa disputa com os outros candidatos republicanos podem estar se reduzindo de forma perigosa.

Na liderança das pesquisas está agora o ex-neurocirurgião Ben Carson, que, a partir de declarações direcionadas ao público conservador e sem se envolver em brigas com os rivais, conseguiu se colocar entre os favoritos a conquistar a indicação republicana.

Enquanto muitos americanos ainda o desconhecem, Carson tem conquistado um público fiel entre simpatizantes do Tea Party, setor mais conservador do Partido Republicano, e religiosos conservadores. Ele tem causado polêmica por seus comentários a respeito dos muçulmanos e por suas referências aos nazistas e à escravidão em sua campanha.

A maior fraqueza de Carson talvez seja sua evidente falta de propostas políticas específicas. Os projetos listados em seu site oficial são vagos, incluindo um plano de impostos que pede um sistema “mais justo, mais simples e mais igualitário”. Sobre política externa, ele diz: “todas as opções devem permanecer na mesa quando lidamos com valentões internacionais”, como o presidente russo Vladimir Putin.

O debate focará em política econômica, fiscal, emprego e inovação. Por enquanto, a única ausência será a do governador de Wisconsin, Scott Walker, que desistiu das primárias republicanas em setembro.

A Universidade do Colorado, em Boulder, foi escolhida como palco do terceiro debate republicano, que foi dividido em duas partes em razão do grande número de candidatos. O evento principal terá a presença dos dez primeiros colocados nas pesquisas: Carson, Trump, Bush, Marco Rubio, Ted Cruz, Mike Huckabee, Rand Paul, Chris Christi, Carly Fiorina e John Kasich.

Uma pesquisa divulgada hoje pelo jornal The New York Times e a emissora CBS News indica o fim da meteórica ascensão de Trump, ultrapassado por Carson, outro candidato afastado dos círculos políticos de Washington.

O ex-neurocirurgião é o favorito de 26% dos eleitores republicanos nas primárias, enquanto Trump caiu para 22%, seguido de longe por Rubio, senador pela Flórida, com 8%. Bush e Fiorina, ex-executiva-chefe da Hewlett Packard, dividem a quarta posição, com 7% das intenções de voto.

Trump, que publicou hoje um artigo de opinião na CNBC defendendo um menor papel do governo na regulação da economia, passou a atacar Carson, ao afirmar no último final de semana que o pré-candidato está com "menor energia" do que Bush e chegou até esse ponto da campanha "dormindo". /EFE e ASSOCIATED PRESS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.