Reprodução / ABC News
Reprodução / ABC News

Britânicos são acusados de fornecer dinheiro ao suspeito dos atentados de Paris e Bruxelas

Mohammed Ali Ahmed e Zakaria Boufassi supostamente deram em julho mais de 3 mil libras (US$ 4,4 mil) para Mohamed Abrini, o homem de chapéu que aparece em imagens de vídeo minutos antes dos ataques no Aeroporto Internacional de Zaventem

O Estado de S. Paulo

29 Abril 2016 | 12h28

LONDRES - Dois homens britânicos foram acusados de dar dinheiro ao principal suspeito dos ataques terroristas em Bruxelas, na Bélgica, e em Paris. Segundo os promotores, eles forneceram o dinheiro já sabendo que seria usado em ações terroristas.

Promotores disseram no tribunal nesta sexta-feira, 29, que Mohammed Ali Ahmed e Zakaria Boufassil, ambos de 26 anos, supostamente deram mais de 3 mil libras (US$ 4,4 mil) para o suspeito Mohamed Abrini em Birmingham, em julho.

Abrini, que está sob custódia, era o homem de chapéu visto em imagens de vídeo pouco antes do atentado no dia 22 de março no aeroporto de Bruxelas. Ele estava envolvido nos ataques de Paris em 13 de novembro que mataram 130 pessoas.

Uma terceira suspeita britânica, Soumaya Boufassil, de 29 anos e irmã de Zakaria Boufassil, também foi acusada de preparar atos de terrorismo.

Os três suspeitos compareceram nesta sexta-feira a um tribunal na Grã-Bretanha. Ahmed teria nacionalidade britânica, enquanto os irmãos Boufassil seriam belgas de origem marroquina e habitantes de Birmingham, no centro da Inglaterra.

Os três foram detidos entre os dias 14 e 15 de abril como resultado de uma operação coordenada entre as polícias britânica, francesa e belga.

Após ser confirmada a identidade dos suspeitos, o juiz da Corte de Magistrados de Westminster, Howard Riddle, ordenou as prisões até a realização do julgamento, A próxima audiência está marcada para 13 de maio. /Associated Press, AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.