EI divulga vídeo com decapitação de outro jornalista americano

Captura de Steven Sotloff foi mantida em segredo até ele ser visto em vídeo da execução do também jornalista James Foley

O Estado de S. Paulo

02 Setembro 2014 | 14h21

(Atualizada às 15h55) O Estado Islâmico divulgou um vídeo na internet nesta terça-feira, 2, mostrando a decapitação de outro jornalista americano, Steven Sotloff, pelos jihadistas.

A captura de Sotloff foi mantida em segredo por meses a pedido da família, até que ele foi visto no vídeo da execução do jornalista americano James Foley duas semanas atrás.

A Casa Branca avaliará o novo vídeo para confirmar a autenticidade das imagens, afirmou o porta-voz Josh Earnest. "Isso é algo que a administração obviamente está acompanhando com muito cuidado", disse Earnest. "Nossos pensamentos e orações estão com Sotloff, sua família dele e as pessoas com quem trabalhava."

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Estou de volta, Obama, e estou de volta em razão de sua política externa contra o Estado Islâmico
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Dirigindo-se ao líder do EI pelo nome, Shirley Sotloff disse em um vídeo que o filho era um "jornalista inocente" que não devia pagar pelas ações do governo americano no Oriente Médio sobre as quais não tinha controle.Sotloff, 31 anos, escreveu para as revistas Time e Foreign Policy e foi visto pela última vez na Síria, em agosto de 2013. A mãe do jornalista suplicou na semana passada pela libertação do filho em um vídeo dirigido ao grupo islâmico.

A existência do vídeo foi alertada pelo SITE Intelligence Group, organização americana que vigia grupos radicais islamistas.

O vídeo "A segunda mensagem para os EUA" tem duração de quase três minutos e mostra Sotloff dizendo que é "o preço a pagar" pela decisão do governo do presidente Barack Obama de intervir no Iraque.

Uma pessoa com o rosto coberto aparece no vídeo alertando os governos para "se afastarem da aliança do mal dos EUA contra o Estado Islâmico" e ameaçando o jornalista britânico mantido refém David Haines.

O combatente que decapita Sotloff no vídeo chamou a execução de vingança pela continuação de bombardeios contra o grupo no Iraque. "Estou de volta, Obama, e estou de volta em razão de sua política externa contra o Estado Islâmico... apesar de nossos sérios alertas. Então, como os seus mísseis continuam a atacar nosso povo, nossas facas vão continuar a atingir os pescoços do seu povo."

Não ficou claro quando e onde o vídeo de Sotloff foi gravado. Alguns especialistas em inteligência disseram acreditar que Sotloff foi executado no mesmo dia em que Foley e que os jihadistas decidiram espaçar a divulgação dos dois vídeos.

Há duas semanas, militantes do EI publicaram um vídeo mostrando a decapitação do repórter fotográfico americano James Foley, 40 anos, que estava desaparecido desde 2012, em retaliação aos ataques aéreos americanos no Iraque.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, afirmou que, se confirmada, a nova decapitação "é absolutamente repugnante".

Acredita-se que pelo menos mais dois americanos estão em poder do Estado Islâmico. / AFP, AP, NYT e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.