Bryan Denton/The New York Times
Bryan Denton/The New York Times

EI oferece US$ 4 mil de recompensa a combatentes por cada soldado morto dos EUA

Oferta a combatentes foi feita pelo grupo extremistas após a perda da cidade estratégica de Al-Karama, perto de Raqqa

O Estado de S. Paulo

20 Março 2017 | 13h31
Atualizado 20 Março 2017 | 14h23

DAMASCO - O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) ofereceu a seus combatentes uma recompensa de 20 dinares de ouro (cerca de US$ 4 mil) por cada soldado americano que consigam matar na província de Raqqa, na Síria, informou nesta segunda-feira, 20, o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

A recompensa é extensiva para o caso da morte de soldados "estrangeiros" que fazem parte das fileiras das Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança armada liderada por curdos sírios, que tem o apoio dos Estados Unidos e enfrenta os jihadistas no norte da Síria. As FSD lançaram em 6 de novembro a operação "Ira do Eufrates" para isolar Raqqa e expulsar o EI do norte do país.

O anúncio do EI aconteceu depois que os terroristas perderam a cidade estratégica de Al-Karama, situada 17 quilômetros ao leste da cidade de Raqqa, bastião do EI na Síria, segundo o OSDH.Estas milícias avançaram com apoio da aviação da coalizão internacional e alcançaram o norte da barragem do rio Eufrates a oeste de Raqqa.

Recentemente, os Estados Unidos anunciaram o envio de um contingente de 400 soldados que se juntarão aos 500 integrantes das forças especiais que já operavam na Síria para reforçar a ofensiva de Raqqa. /EFE

 

Mais conteúdo sobre:
Estado Islâmico Síria Estados Unidos Ira

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.