AP Photo/Fernando Llano
AP Photo/Fernando Llano

Em anúncio no ‘NYT’, vice venezuelano nega tráfico

Tareck El Aissami desmente envolvimento com venda de drogas e afirma que sanções são fruto de conspiração

O Estado de S. Paulo

22 Fevereiro 2017 | 21h09

CARACAS - O vice-presidente da Venezuela, Tareck El Aissami, publicou nesta quarta-feira, 22, um anúncio de página inteira no jornal The New York Times para negar que tenha qualquer vínculo com o narcotráfico. Na mensagem, dirigida ao secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, o venezuelano afirma que acusações contra ele são falsas e “violam os direitos humanos”. 

El Aissami foi incluído pelo Departamento do Tesouro em uma lista de indivíduos sob sanção americana. O vice de Nicolás Maduro é acusado de ser parte de uma rede internacional de tráfico de drogas. Segundo o venezuelano, as sanções foram impostas porque o governo dos EUA teria sido “enganado por setores políticos, lobistas e acionistas” cujos interesses seriam “evitar” que Washington e Caracas conseguissem uma reaproximação. 

Os “acionistas” seriam, entre outros, detentores de títulos da dívida pública venezuelana nos EUA que temem um calote do governo Maduro diante da grave crise econômica e política que o país sul-americano atravessa. “Esses interessados não apenas fazem acusações extremamente graves sem provas, mas também construíram um caso de ‘falso positivo’ para criminalizar, por meio de mim, o governo da República Bolivariana da Venezuela”, afirma o texto publicado no Times

As sanções do Departamento do Tesouro bloquearam todos os bens ou contas bancárias que El Aissami tenha nos EUA. O vice nega ter bens em território americano. Também foram atingidos outros indivíduos apontados como cúmplices no suposto esquema. / AP

Mais conteúdo sobre:
Venezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.