Em dia de eleições, tufão Lan se aproxima do Japão

Classificado como categoria quatro, tempestade deixa boa parte do país em estado de atenção

O Estado de S.Paulo

22 Outubro 2017 | 07h17

TÓQUIO -  Mais de 70 mil famílias em várias partes do Japão foram alertadas a evacuar suas residências, 300 vôos foram cancelados e os serviços ferroviários interromperam-se quando fortes chuvas e ventos atacaram uma ampla faixa do arquipélago japonês neste domingo, 22 de outubro, dia nacional das eleições, quando um poderoso tufão se aproxima do país. 

O Tufão Lan, classificado como uma intensa tempestade de categoria 4 pelo site de monitoramento de risco de tempestade tropical, chegou pelo sul do Japão e se direciona para nordeste a 40 km/h, de acordo com a Agência Meteorológica do Japão. As ilhas de Kyushu, Shikoku grande parte de Honshu e de Hokkaido estão em estado de atenção. 

Um funcionário da agência meteorolgógica disse em coletiva de imprensa que, enquanto a tempestade parecia ter enfraquecido ligeiramente em seu pico, ainda era uma poderosa tempestade que poderia atingir o país com mais de 80 mm de chuva por hora e pode chegar a terras perto de Tóquio na segunda-feira. "Será um forte tufão", acrescentou.

A agência emitiu avisos para fortes chuvas e inundações no lado do Pacífico, incluindo a área metropolitana de Tóquio, mesmo que o tufão provavelmente seja rebaixado para a categoria 3 no domingo à noite.  Mais de 70 mil famílias em várias partes do país foram alertadas a evacuar suas casas, e mais de 5 mil foram ordenadas a sair, segundo notícias da TV pública NHK.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, disse que pediu ao governo que tome as medidas o mais cedo possível para minimizar qualquer ameaça à vida das pessoas. A mídia informou o aterramento de vôos e serviços ferroviários interrompidos nas partes do sul e oeste do país. Vento e chuva estavam se intensificando em Tóquio.

O mau tempo poderia dificultar a participação dos eleitores nas eleições gerais, nas quais a coalizão dirigida pelo Partido Democrata Liberal (LDP) do primeiro-ministro Shinzo Abe está tem chances de se aproximar aos dois terços da "super-maioria" que ocupou na câmara baixa do Parlamento antes de sua dissolução. Divisões no campo da oposição e nervosismo sobre os programas nucleares e de mísseis da Coréia do Norte provavelmente ajudarão a coalizão governante, disseram as previsões da mídia. 

Mais conteúdo sobre:
Lan Tufão Shinzo Abe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.