AP Photo/Pablo Martinez Monsivais
AP Photo/Pablo Martinez Monsivais

Em telefonema, Trump convida informalmente Temer aos EUA

Em conversa telefônica, líderes americano e brasileiro trocam opiniões sobre reformas adotadas em cada país

Cláudia Trevisan, CORRESPONDENTE / WASHINGTON, O Estado de S. Paulo

18 Março 2017 | 21h38

O presidente Donald Trump convidou na tarde deste sábado, 18, de maneira informal, o presidente Michel Temer para visitar os Estados Unidos, na primeira conversa telefônica entre ambos desde a posse do líder americano, no dia 20 de janeiro. Segundo fontes ouvidas pelo Estado, a possível viagem já era discutida entre diplomatas dos dois países.

Em três momentos do telefonema, Trump disse que Temer deveria vê-lo na Casa Branca quando estivesse em Washington. O presidente americano cumprimentou o brasileiro pelas reformas e primeiros sinais de recuperação da economia. Trump falou ainda de seu próprio esforço para reformar o sistema de saúde americano. Em resposta, Temer parabenizou o americano pelas mudanças econômicas e os números de geração de emprego.

Os dois líderes também falaram do panorama regional, o que incluiu uma análise da situação na Venezuela. De acordo com as fontes ouvidas pelo Estado, Trump propôs que os dois líderes mantenham contatos frequentes no futuro.

Temer disse que a conversa com Trump ocorreu em um momento oportuno, quando ele se prepara para encontros centrados na relação Brasil-EUA. Na segunda-feira, Temer falará em um encontro da Câmara de Comércio Brasil-EUA (Amcham). No dia seguinte, ele receberá em Brasília os principais integrantes do Conselho das Américas.

A última visita de um líder brasileiro aos EUA foi realizada em meados de 2015 pela ex-presidente Dilma Rousseff. 

Temer e Trump haviam conversado por telefone em dezembro, quando o brasileiro cumprimentou o americano pela vitória na disputa pela Casa Branca. Na época, Temer propôs o lançamento de uma “agenda de crescimento”. O brasileiro voltou ao assunto neste sábado.

O Palácio do Planalto não confirma, mas era intenção de Temer tranquilizar Trump em relação à eficiência no trabalho realizado pelo serviço de inspeção do Ministério da Agricultura na fiscalização dos produtos exportados. 

Desde que assumiu o cargo, Trump já havia conversado com Mauricio Macri (Argentina), Juan Manuel Santos (Colômbia) e Enrique Peña Nieto (México). O americano também recebeu na Casa Branca o novo presidente do Peru, Pedro Paulo Kuczynski. Dentro de poucas semanas, Macri fará uma visita oficial aos EUA. / COM TÂNIA MONTEIRO, DE BRASÍLIA

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.