Embaixada russa na Síria é alvo de disparos de morteiros

Embaixada russa na Síria é alvo de disparos de morteiros

Não houve relatos de vítimas ou de danos ao edifício; para chanceler da Rússia, ataque é ato terrorista

O Estado de S. Paulo

13 Outubro 2015 | 08h52

MOSCOU - A Embaixada da Rússia em Damasco, capital da Síria, foi alvo de disparos de morteiros nesta terça-feira, 13, de acordo com a agência RIA Novosti. Segundo fontes, o ataque não deixou vítimas e não houve relatos de danos ao edifício.

"Dois obuses de morteiro atingiram o recinto da Embaixada da Rússia em Damasco. Os funcionários da delegação não ficaram feridos", disseram as fontes.

Várias testemunhas afirmaram que uma bomba atingiu o telhado da legação diplomática, localizada na bairro de Mazra, enquanto dois foguetes caíram nas imediações, sem deixar vítimas.

As fontes explicaram que, no momento do ataque, ocorria uma manifestação no local para "agradecer a Rússia pelos bombardeios contra o terrorismo".

As testemunhas afirmaram que várias pessoas ficaram feridas ao serem atingidas pelas explosões, uma delas perto de um clube esportivo no distrito de Al Barada, e outra em Al Adawi.

Anteriormente, o Observatório Sírio de Direitos Humanos indicou que dois foguetes haviam caído perto do recinto diplomático, coincidindo com a presença na região de um grupo denominado Partidários da Intervenção Russa no país árabe.

Os meios de comunicação oficiais sírios não se manifestaram sobre o fato, embora a agência de notícias Sana tenha apontado que houve uma concentração de milhares de pessoas em frente à Embaixada da Rússia, "para expressar seu agradecimento ao apoio russo contra os terroristas".

A Rússia, aliada do regime de Bashar Assad, iniciou no último dia 30 de setembro uma campanha de bombardeios no território sírio, em sua primeira intervenção militar direta no conflito do país.

Terrorismo. O chanceler russo, Sergei Lavrov, disse hoje que Moscou considera o ataque à embaixada um ato terrorista.

"Esse é um claro ato de terrorismo, provavelmente com o objetivo de intimidar os apoiadores da luta contra o terrorismo", disse Lavrov, antes de se encontrar com o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura.

O chanceler disse ainda que a Rússia apoia os esforços de De Mistura para garantir um acordo político que encerre a crise na Síria, e que está desapontada com a relutância dos EUA em coordenar os esforços contra o terrorismo no território sírio. /EFE e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Rússia Síria embaixada ataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.