Enchentes desalojam mais de 2 mil pessoas no Uruguai

Mais de 2 mil pessoas tiveram que deixar suas casas no noroeste do Uruguai, por causa de inundações causadas por intensas chuvas, informaram hoje autoridades locais. O problema é pior nesta região, onde há uma represa binacional em consórcio com a Argentina.

AE-AP, Agencia Estado

24 Novembro 2009 | 16h57

O número de prejudicados cresce a cada dia, de acordo com informes do Comitê de Emergência. O coronel Carlos Lorente, coordenador do Sistema Nacional de Emergências (SNE), informou que, com relação ao departamento (Estado) de Artigas, está sendo feito "um monitoramento constante da situação, para a eventualidade de que o Poder Executivo declare estado de emergência". Somente em Artigas há mais de 1.200 pessoas retiradas de suas casas, pois o Rio Cuareim vem subindo abruptamente.

Outra área delicada é Salto, 500 quilômetros a noroeste, vizinho a Artigas, onde está a represa de Salto Grande, que produz energia também para a Argentina, sobre o Rio Uruguai, e que pela água que chega faz subir o nível de seu lago artificial. Pode ser inclusive que sejam abertas as comportas do lago para se aliviar a situação, mas essa quantidade de água pode ainda causar mais problemas na vizinha Paysandú, mais abaixo.

As intensas chuvas são registradas há vários dias e afetam também Rivera, Cerro Largo, Treinta y Tres, Colonia e Sorano, entre outros pontos. Dezenas de rodovias estavam bloqueadas, isolando populações no interior dessas zonas, em muitas dos quais também não há energia elétrica. Até agora, foi registrado apenas um desaparecido, arrastado pelas águas em Salto.

Mais conteúdo sobre:
Uruguai chuvas enchentes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.