Energia é alvo de campanhas políticas nos EUA

A competitiva encenação entre Republicanos e Democratas faz parte de uma batalha política cada vez mais acirrada sobre como abordar a demanda de energia dos Estados Unidos, a qual está emergindo como principal preocupação de muitos norte-americanos, segundo mostram as pesquisas de opinião pública. O anúncio de Bush de seu plano de energia, na usina em St. Paul, Minneápolis, e a resposta dos Democratas também abrirão ambiciosas metas de relações públicas para vender propostas antagônicas para um público que se tornou intranqüilo com o aumento do preço da gasolina e a perspectiva de apagões. Enquanto Bush apresentou os eventos em estilo de campanha esta semana para promover suas propostas como pró-conservacionistas e pró-consumidores, Democratas disseram que até o início da próxima semana lançarão uma campanha na televisão e no rádio retratando a Casa Branca como representante das companhias de petróleo. Republicanos e Democratas estão ansiosos para fazer da questão tema próprio na corrida presidencial, o que poderia facilmente levar ao controle do dividido Congresso. Eles dizem estar estruturando suas ações não para legisladores em particular em Capitol Hill, mas para tentar afetar a opinião pública além de Washington. Estrategistas dos dois partidos disseram que os resultados de pesquisas extensivas os ajudaram a orientar suas estratégias políticas. O eixo principal do relatório de Bush é que as fontes tradicionais de combustível permaneceriam como fonte de energia para o país por décadas, exigindo apoio ainda maior do que o recebido do governo Clinton, mas o presidente e seus consultores em energia foram além para garantir que o relatório também tenha uma boa dose de conservação e promover a produção de energia ?limpa? para proteger o meio ambiente.

Agencia Estado,

17 Maio 2001 | 13h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.