Enviado americano reúne-se com Arafat e Sharon

O enviado especial americano ao Oriente Médio, embaixador William Burns, reúne-se neste domingo com o líder palestino Yasser Arafat e o primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, numa tentativa de pôr fim a oito meses de violência que deixaram saldo de mais de 550 mortos. Designado para a delicada missão na segunda-feira, Burns, embaixador dos EUA na Jordânia, tem por objetivo estabelecer um clima de confiança entre as partes, com base nas recomendações da comissão Mitchell, para o reinício do diálogo. O relatório do ex-senador americano George Mitchell (que investigou as violações de direitos humanos na região), recomenda, entre outras medidas, uma trégua imediata por parte de israelenses e palestinos e o congelamento dos assentamentos judeus nos territórios palestinos controlados pelos israelenses. Sharon rejeita modificar sua política em relação às colonias, mas adotou uma espécie de cessar-fogo unilateral, proibindo as forças israelenses de tomar a iniciativa contra objetivos palestinos, mas permitindo que reajam no caso de defesa pessoal. Sharon exigiu de Arafat um cessar-fogo imediado. O líder palestino condicionou o fim das hostilidades ao fim do cerco militar a Gaza e Cisjordânia e ao congelamento das colônias.

Agencia Estado,

26 Maio 2001 | 13h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.