Sebastian D'Souza/AP
Sebastian D'Souza/AP

Envolvido em ataque em Mumbai em 2008 é sentenciado à morte

Paquistanês foi o único capturado vivo após atentado que deixou 166 pessoas mortas na Índia

Agência Estado

06 Maio 2010 | 09h46

MUMBAI - Um juiz indiano sentenciou à morte o único homem armado envolvido no ataque de 2008 a Mumbai que ainda está vivo. O magistrado M.L. Tahaliyani disse nesta quinta-feira, 6, que o paquistanês Mohammed Ajmal Amir Kasab, de 22 anos, era culpado por quatro crimes: homicídio, lançar uma guerra contra a Índia, conspiração e terrorismo. "Ele deve ser enforcado até a morte", afirmou o juiz. "Eu não encontro motivo para uma punição menor que a morte no caso de lançar uma guerra contra a Índia, homicídio e atos terroristas", completou.

Três dias atrás, Kasab foi considerado pela Justiça indiana como culpado pelos ataques que deixaram 166 mortos. Tahaliyani disse que a punição deve ser proporcional ao crime. Kasab foi o único homem armado capturado com vida, após o ataque de novembro de 2008 à capital financeira da Índia.

A promotoria tinha para comprovar a participação de Kasab suas impressões digitais, amostras de DNA, imagens de câmeras de segurança e centenas de testemunhas. Porém ainda não foram responsabilizados os supostos mandantes do ataque.

O governo indiano afirmou que o veredicto de Kasab é uma forte mensagem ao Paquistão, para o país não "exportar terror" para além de suas fronteiras. Nova Délhi suspendeu conversas de paz com Islamabad após esse ataque. Agora, quer que o Paquistão condene o fundador do grupo militante Lashkar-e-Taiba, Zakiur Rehman Lakhvi, e Zarar Shah, um importante membro da organização. Segundo o governo indiano, esse grupo está por trás do ataque de Mumbai. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.