1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Equador oferece território para mediar paz com ELN

AE - Agência Estado

11 Junho 2014 | 17h 52

O Equador está disposto a ser mediador e oferecer o seu território como já havia sinalizado antes para que o governo da Colômbia e a guerrilha do Exército de Libertação Nacional (ELN) realizem as suas negociações pela paz, afirmou nesta quarta-feira o chanceler equatoriano, Ricardo Patiño.

O governo colombiano e os guerrilheiros anunciaram na terça-feira que chegaram a um acordo para iniciar a fase exploratória para um eventual processo de paz.

"O estado equatoriano, assim como o já oferecido apoio e respaldo, seguirá fazendo o que nós pede o governo da Colômbia, se o governo colombiano solicitar que sejamos mediadores, que sejamos observadores, que garantimos e acolhemos a reunião dos representantes, que façamos alguma gestão em favor dos diálogos de paz", destacou Patiño.

A ELN tem em suas fileiras mais de 2 mil combatentes e surgiu em 1965 no noroeste da Colômbia. Governo anteriores tentaram, sem sorte, selar a paz com essa guerrilha. O grupo, nos últimos anos, tem-se distinguido por suas ações contra o oleoduto Caño Limón-Coveñas.

Desde o final de 2012, o governo colombiano liderado por Juan Manuel Santos e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) negociam pela paz em Havana, Cuba, para colocar fim ao confronto de mais de 50 décadas. Fonte: Associated Press.