AP Photo/Dudu Grunshpan
AP Photo/Dudu Grunshpan

Eritreu morre após ser confundido com agressor em Israel

Abtoum Zarhum, de 29 anos, foi baleado durante ataque de palestino a estação de ônibus em Beersheba; ele estava em estado crítico e não resistiu aos ferimentos

O Estado de S. Paulo

19 Outubro 2015 | 13h08

JERUSALÉM - Um imigrante eritreu que estava em estado crítico depois de ser baleado por um agente de segurança de Israel morreu nesta segunda-feira, 19, em razão dos ferimentos, informou o Hospital Soroka de Beersheba, sul do país.

O imigrante, identificado pela polícia como Abtoum Zarhum, de 29 anos, foi alvejado depois que um palestino armado com uma pistola e uma faca atacou a estação central de ônibus dessa cidade no domingo, matando um soldado israelense de 19 anos e ferindo 10 pessoas. O agressor foi morto.

Durante o ataque, um agente de segurança no prédio confundiu Zarhum com um segundo agressor e atirou nele. Posteriormente o imigrante foi cercado por várias pessoas que também acharam que era um agressor e o espancaram, agravando ainda mais seu estado.

Um vídeo divulgado na internet mostra o momento em que um agente de segurança israelense abriu fogo contra um homem, provavelmente o eritreu. Outro vídeo mostra a multidão ao redor dos feridos e vários homens agredindo o eritreu.

O autor do atentado foi identificado pela polícia como um árabe-israelense de 21 anos, Muhanad Khaleel Uqbi, morador dos arredores de Beersheba.

Os árabes-israelenses (17,5% da população) são os descendentes dos palestinos que permaneceram em Israel após a criação deste Estado em 1948. São cidadãos israelenses que expressam, em sua maioria, solidariedade aos palestinos.

A Cisjordânia ocupada e vários pontos de Israel registram há duas semanas uma escalada de violência que provoca o temor de uma nova intifada. / AFP e EFE

Mais conteúdo sobre:
Israel eritreu Beersheba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.