AP Photo/Dolores Ochoa
AP Photo/Dolores Ochoa

Escândalo afeta vice-presidente no Equador

Presidente Lenin Moreno prometeu combater a corrupção durante a campanha, mas agora diz que não esperava encontrar esse labirinto

Natalia Sierra, professora da PUC do Equador*, O Estado de S.Paulo

15 Julho 2017 | 05h00

"O presidente Lenín Moreno criou uma comissão anticorrupção, mas muitos membros dela fazem parte do governo. A sociedade civil tem feito denúncias por meio de uma comissão paralela, mas os casos nem sempre avançam. Moreno prometeu combater a corrupção durante a campanha, mas agora diz que não esperava encontrar esse labirinto. 

Todas as denúncias vinculadas à Odebrecht apontam para seu vice-presidente, Jorge Glas. A oposição quer o julgamento político dele, mas isso depende da Assembleia Nacional, onde o governo tem maioria, e do Judiciário, quase todo nomeado por Rafael Correa. Assim, o processo não deve avançar. No momento, Moreno usa o discurso anticorrupção para se fortalecer frente ao ex-presidente Correa. "

* Ao repórter Luiz Raatz

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.