Esquerda é favorita hoje na eleição uruguaia

O bipartidarismo mais antigo de todo o continente americano poderia ser encerrado com a eleição de hoje, caso o médico oncologista Tabaré Vázquez, candidato da centro-esquerdista Frente Ampla, seja eleito presidente do Uruguai. Desta forma, pela primeira vez este país teria um presidente que não pertence aos tradicionais Partidos Colorado (conservador liberal) e Nacional, também conhecido como Blanco (conservador nacionalista). Estes dois partidos se alternaram no poder nos últimos 174 anos. As pesquisas indicam que Vázquez não somente se transformaria no novo ocupante do Edifício Libertad (o palácio presidencial), mas também seria o primeiro presidente em mais de meio século a dominar simultaneamente a Câmara de Deputados e o Senado, que serão renovados na votação de hoje. As pesquisas indicam que Vázquez poderia vencer no primeiro turno, conseguindo entre 50% e 54% dos votos. O candidato do Partido Nacional , Jorge Larra?aga, tem de 28% a 35% das intenções de voto. Em terceiro lugar nas pesquisas, com 8% a 13% - que significariam o pior desempenho da história do Partido Colorado -, vem Guillermo Stirling, candidato do impopular presidente Jorge Batlle. Alguns analistas, como Ignacio Zuasnabar, da Equipos Mori, consideram que no lugar do velho bipartidarismo poderá surgir uma nova alternância entre dois partidos. Neste caso, a disputa entre colorados e blancos seria substituída, nas próximas décadas, pela luta entre os "frenteamplistas" e os blancos. Os colorados ficariam de fora do cenário. Para vencer o primeiro turno, é preciso obter metade mais um dos votos. Se isso não ocorrer. os dois mais votados disputarão o segundo turno no dia 28. Caso haja um segundo turno entre Vázquez e Larra?aga, este contará com o apoio dos colorados - repetindo, de forma invertida, o respaldo que no segundo turno das eleições de 1999 os colorados receberam dos blancos. A insólita aliança entre os dois históricos inimigos - embora aliados circunstanciais diante do crescimento da esquerda - infligiu em 1999 uma inesperada derrota a Vázquez, que havia obtido a maior proporção de votos no primeiro turno. Larra?aga afirma que está confiante na realização de um segundo turno. "As pesquisas não levaram em conta o interior do país, onde há uma maioria que votará a nosso favor."

Agencia Estado,

31 Outubro 2004 | 06h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.