AP Photo/Carl Costas, File
AP Photo/Carl Costas, File

Estado americano da Califórnia aprova eutanásia

Lei se baseou no caso de Brittany Maynard, uma californiana de 29 anos com câncer no cérebro que mudou-se para o Oregon para poder terminar com sua vida

O Estado de S. Paulo

05 Outubro 2015 | 17h29

SACRAMENTO - A Califórnia converteu-se nesta segunda-feira, 5, no quinto Estado americano a permitir que pacientes terminais possam pôr fim a sua vida utilizando medicamentos receitados por médicos. 

O governador democrata, Jerry Brown, de formação jesuíta, anunciou que a promulgação da lei aprovada pelos legisladores do Estado ocorreu após um debate "profundamente pessoal e emotivo". 

A iniciativa da lei foi aprovada no dia 11 depois que versões prévias já tinham sido rejeitadas este ano. Ela tem por base o caso de Brittany Maynard, uma californiana de 29 anos com câncer no cérebro que mudou-se para o Oregon para poder terminar com sua vida. Nesse Estado, a eutanásia é permitida. 

Os que se opõem à medida, dizem que ela legaliza o suicídio prematuro. A lei condiciona que o paciente seja capaz de tomar o medicamento por si só diante da aprovação de dois médicos. 

A lei na Califórnia chega depois de ao menos duas dezenas de Estados americanos introduziram, este ano, projetos de lei semelhantes, ainda que as medidas estejam paralisadas em quase todos os casos. / AP

Mais conteúdo sobre:
EUA Califórnia eutanásia Brittany Maynard

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.