Estado dos EUA pode mudar regra para eleição

Um juiz federal americano deixou a cargo dos eleitores do Colorado a definição da forma como serão distribuídos os votos eleitorais do Estado. Nos EUA, cada Estado tem direito a um certo número de votos na eleição para presidente. O povo de um Estado não vota diretamente para presidente, mas numa chapa com os eleitores que irão representá-lo no Colégio Eleitoral. O juiz Lewis Babcock rejeitou uma ação que pretendia impedir um plebiscito sobre mudanças no sistema que o Colorado adota para distribuir seus votos no Colégio, os chamados votos eleitorais. O plebiscito pretende acabar com o sistema no qual o candidato mais votado no Estado leva todos os votos eleitorais. Em vez disso, esses votos seriam distribuídos segundo a proporção de votos populares de cada postulante. A mudança, se aprovada, terá validade já na eleição deste ano, complicando a corrida entre George W. Bush e John Kerry. Nos EUA, 48 Estados usam o sistema chamado de vencedor-leva-tudo, no qual o candidato mais votado pela população fica com a totalidade dos votos eleitorais. Apenas Maine e Nebraska separam os votos proporcionalmente. Um candidato precisa de 270 votos eleitorais para ser presidente, de um total de 538. O juiz argumentou que os Estados são livres para decidir o destino dos votos eleitorais, e que não cabe à Justiça Federal interferir no processo.

Agencia Estado,

26 Outubro 2004 | 16h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.