ESTADO ISLÂMICO;TÚNIS;TERRORISMO
ESTADO ISLÂMICO;TÚNIS;TERRORISMO

Estado Islâmico assume autoria do ataque a museu na Tunísia

Grupo jihadista divulgou mensagem na internet qualificando ataque como 'invasão abençoada a um antros de infiéis'

O Estado de S. Paulo

19 Março 2015 | 12h41

TÚNIS - O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) divulgou nesta quinta-feira, 19, um comunicado assumindo a autoria do ataque ao Museu Nacional do Bardo, na capital da Tunísia, que deixou ao menos 23 mortos - a maior parte de turistas estrangeiros - na quarta-feira.

A mensagem de voz, que descreve o ataque como uma "invasão abençoada de um antros de infiéis e de vícios na Tunísia muçulmana", apareceu um fórum online onde são postadas mensagens do grupo. No áudio, os atiradores mortos pelas forças de segurança da Tunísia são descritos como "cavaleiros do Estado Islâmico", que carregariam armas e bombas.

No dia do atentado, uma especialista em extremismo afirmou que contas no Twitter ligadas ao EI estavam elogiando o ataque. Rita Katz, do grupo de monitoramento SITE (que acompanha páginas sobre jihadimo na internet), disse que as contas postavam mensagens comemorando e "chamando os tunisianos a seguir seus irmãos". Hoje, o SITE confirmou a existência do áudio do EI.

O levante tunisiano de 2011, que inspirou a chamada "Primavera Árabe" na vizinha Líbia e no Egito, causou o surgimento de vários grupos militantes islâmicos na Tunísia. As autoridades estimam que cerca de três mil tunisianos se juntaram aos combatentes do EI no Iraque e a Síria, o que despertou temores de que possam voltar e realizar atentados em casa. / AP e AFP

Mais conteúdo sobre:
Estado Islâmico Túnis terrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.