1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Estado Islâmico mata cerca de 300 em ataque na Síria, diz governo

- Atualizado: 17 Janeiro 2016 | 13h 14

A agência de notícias estatal, Sana, classificou a ação como um 'massacre terrível'; emissora de televisão também informou que 400 civis foram sequestrados

O governo da Síria informou neste domingo que militantes do Estado Islâmico mataram cerca de 300 pessoas no sábado, 16, em uma "massacre terrível" na cidade de Deir el-Zour, no leste do país. Segundo a agência de notícias estatal, Sana, a maioria dos que morreram era formada por idosos, mulheres e crianças, enquanto ativistas da oposição disseram que muitas das vítimas eram soldados sírios e milicianos favoráveis ao governo e suas famílias.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos, sediado no Reino Unido, afirmou que pelo menos 135 pessoas foram mortas e que cerca de 80 delas eram soldados sírios, milicianos favoráveis ao governo e civis. Disse ainda que muitos deles foram mortos a tiros ou decapitados. O grupo Estado Islâmico controla a maior parte da província de Deir el-Zour e grande parte da capital, que tem o mesmo nome. Enquanto isso, o governo controla vários distritos da parte norte da cidade e do aeroporto militar adjacente.

Os ataques aconteceram após forças sírias bombardearem a província de Aleppo, ao norte do país, em confronto para expulsar militantes do Estado Islâmico da região.

Também houve conflito entre forças sírias e Estado Islâmico na cidade de Aleppo, onde aconteceram bombardeios

Também houve conflito entre forças sírias e Estado Islâmico na cidade de Aleppo, onde aconteceram bombardeios

A emissora de televisão Al-Mayadeen, sediada no Líbano, relatou também que dezenas de pessoas morreram e que seus corpos foram jogados no rio Eufrates. Além disso, informou que 400 civis foram levados como reféns. Os relatórios não puderam ser confirmados de forma independente.

A agência de notícias do Estado Islâmico, Aamaq, havia relatado um ataque em grande escala em Deir el-Zour. Segundo a agência, o massacre começou com um ataque suicida. Hoje, o grupo informou que ampliou suas áreas de controle no oeste e no norte da cidade, acrescentando que 110 soldados do governo sírio foram mortos e pelo menos outros cinco foram capturados. / Associated Press.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX