EUA anunciam tomada de Samarra; 125 mortos

Soldados do governo iraquiano patrulham as ruas e tropas americanas fazem batidas de casa em casa em busca de armas e rebeldes em Samarra. Os militares afirmam que a campanha para retomar o controle da cidade, até então dominada por insurgentes sunitas, foi bem-sucedida. O comando americano elogiou o desempenho das forças de segurança iraquianas na ofensiva, e autoridades declararam que o assalto a Samarra foi apenas o primeiro passo na retomada de importantes áreas do país antes das eleições marcadas para janeiro. Os militares dizem que ao todo 125 rebeldes foram mortos na ofensiva para a reconquista da cidade, e 88 foram capturados desde o início da operação, na sexta-feira. Mas os moradores dizem que há um grande número de civis entre os mortos, e repórteres da Associated Press viram mulheres e crianças nos hospitais. A ofensiva foi duramente criticada pela Associação de Acadêmicos Muçulmanos, um grupo sunita que se opõe à presença americana no Iraque mas que ajudou a negociar a libertação pacífica de reféns estrangeiros. "As forças de ocupação americanas, lamentavelmente com apoio do governo interino, lançaram campanhas militares tresloucadas contra Samarra", diz declaração do grupo.

Agencia Estado,

03 Outubro 2004 | 12h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.