EUA dizem lamentar detenção de soldados turcos

Os EUA divulgaram nesta quarta-feira uma declaração na qual dizem lamentar a detenção de 11 soldados turcos, um dia depois que a Turquia divulgou o documento - aparentemente por engano e sem a aprovação de Washington. A intenção da declaração conjunta era a de reparar as relações entre os dois países, abaladas pela detenção por tropas americanas de soldados turcos em 4 de julho. Mas o mal-entendido em torno da divulgação do documento gerou novo mal-estar. Hoje, a embaixada americana na Turquia emitiu uma versão oficial, em inglês, do pedido de desculpas com os nomes de John B. Sylvester e Koksal Karabay, os generais norte-americano e turco que conduziram as investigações sobre a detenção. A notícia da incursão americana de 4 de julho provocou fúria na Turquia. Soldados dos EUA detiveram os militares turcos na cidade de Sulaimania e os acusaram de planejar o assassinato de um funcionário curdo iraquiano. As forças americanas não apresentaram provas convincentes e a Turquia negou a existência de tal plano. As investigações conjuntas que se seguiram inocentaram os soldados turcos. Segundo a tradução oficial para o inglês divulgada hoje pela embaixada americana, ?as duas partes lamentam a ocorrência deste incidente entre as tropas aliadas? e se comprometem a tomar medidas ?para aprofundar a futura coordenação e cooperação? de suas atividades.

Agencia Estado,

16 Julho 2003 | 15h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.