EUA e Alemanha querem que Karzai combata corrupção

Os Estados Unidos e a Alemanha ampliaram a pressão sobre o presidente afegão, Hamid Karzai, pedindo que ele implemente reformas e combata a corrupção no país. A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, e o ministro das Relações Exteriores alemão, Guido Westerwelle, disseram que a assistência militar e civil adicional ao Afeganistão dependerá de melhorias no governo de Karzai.

AE-AP, Agencia Estado

09 Novembro 2009 | 18h58

"É necessário um compromisso ainda maior do governo do presidente Karzai para fornecer serviços ao povo do Afeganistão, a fim de iniciar o esforço para combater a corrupção", afirmou Hillary. A secretária de Estado também pediu mais transparência na forma como o governo opera.

Hillary deixou claro que os EUA e seus parceiros determinarão metas para o governo do Afeganistão alcançar. "Nós queremos garantir que um desenvolvimento bom e pacífico possa ocorrer dentro do Afeganistão. Em troca nós esperamos do governo afegão que ele faça sua própria contribuição para esse objetivo", afirmou Westerwelle.

As duas autoridades se encontraram no 20º aniversário da queda do Muro de Berlim. Hillary lidera a delegação norte-americana na cerimônia, que segundo ela deve ser um "chamado à ação" para os novos desafios, e não simplesmente uma celebração do passado.

Mais conteúdo sobre:
Afeganistão EUA Alemanha corrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.