EUA e China querem conter corrida armamentista

O vice-secretário para assuntos da Ásia oriental e Pacífico dos EUA, James Kelly, disse hoje que os Estados Unidos e a China estão interessados em conter a corrida armamentista e a ameaça das armas de destruição em massa. O diplomata, que cumpre uma missão de tranqüilizar as autoridades chinesas sobre o sistema antimísseis dos EUA, disse que a "China, assim como os EUA, tem interesse em promover a paz e a estabilidade". Kelly fez a declaração antes de se reunir com funcionários chineses. Ontem, Kelly afirmou que Pequim confunde os planos de Washington, pois o projeto não é tão grande como teme o país asiático. "Parte dos diálogos que manteremos com a China será para tranqüilizar as preocupações manifestadas por algo muito mais ambicioso do que temos em mente", disse Kelly em Singapura, antes de partir para Pequim. Oficiais chineses e da embaixada americana não informaram quando a reunião de Kelly com os funcionários da China começaria nem quanto tempo duraria o encontro. A China, junto com a Rússia, considera o plano de construção de um novo sistema antimísseis dos EUA uma ameaça à estabilidade e ao controle de armas nucleares. Em Moscou, o conselheiro presidencial e ex-ministro da Defesa da Rússia, Igor Sergeyev, afirmou hoje que a delegação norte-americana que visitou o seu país na semana passada para explicar os planos dos EUA sobre o sistema de defesa falhou em sua tentativa. A Rússia vem liderando a oposição contra o escudo antimísseis norte-americano. "Não ouvimos argumentos coerentes a favor do plano de Washington (...)", afirmou Sergeyev.

Agencia Estado,

15 Maio 2001 | 05h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.