EUA reiteram apoio a presidente da Nicarágua

Em um comunicado, o governo dos Estados Unidos declarou, neste domingo, que a tentativa de destituição do presidente da Nicarágua, Enrique Bolaños, "constitui uma séria ameaça" à estabilidade e à governabilidade democrática daquele país. A declaração do Departamento de Estado dos EUA, divulgada em Manágua pela Embaixada americana, conclama também as forças políticas nicaragüenses a atuar com responsabilidade. "Deploramos as mais recentes tentativas, motivadas por interesses políticos e baseadas em precedentes legais duvidosos, de abalar a ordem institucional na Nicarágua e a sua presidência", destaca a declaração. "Qualquer atentado contra as instituições democráticas põe em risco os esforços para promover o desenvolvimento econômico e a luta contra a pobreza na Nicarágua", acrescenta. Desta forma, o governo americano atende ao pedido de demonstração de solidariedade a Bolaños feito no sábado pelos presidentes da América Central ao Conselho Permanente da OEA. A Assembléia Nacional, dominada por opositores sandinista e liberais, deverá nomear na próxima terça-feira uma comissão especial para analisar um pedido feito pela Controladoria-Geral da República (CGR) para destituir Bolaños. A CGR acusa o presidente de se negar a informar sobre a origem de contas bancárias utilizadas em sua campanha eleitoral em 2001. O total envolvido no caso é de cerca de US$ 7 milhões.

Agencia Estado,

17 Outubro 2004 | 13h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.