1. Usuário
Assine o Estadão
assine


EUA tentaram resgatar Foley em junho

Estadão Conteúdo

20 Agosto 2014 | 20h 21

As forças de operações especiais dos EUA organizaram uma missão malsucedida na Síria no começo de junho para tentar recuperar vários norte-americanos mantidos como reféns pelo grupo extremista Estado Islâmico, incluindo o jornalista James Foley, decapitado nesta semana, disseram autoridades de alto escalão do governo de Barack Obama.

O presidente teria ordenado a operação - a primeira dos Estados Unidos em território Sírio desde o começo da guerra civil - após o país ter recebido informações de que os norte-americanos eram mantidos pelo grupo em uma instalação específica em uma região pouco habitada. Entre os presos estava Foley, o jornalista cujo assassinato foi filmado e publicado em uma rede social na terça-feira.

As autoridades se recusaram a dizer precisamente onde e quando a operação ocorreu. As forças especiais, no entanto, não teriam encontrado nenhum norte-americano na instalação e recuaram.

Dezenas de agentes das forças especiais levados por helicópteros teriam participado da missão, enquanto drones e aeronaves militares sobrevoavam a área, garantem os EUA. Após pousarem na região próxima ao local e se aproximarem da instalação a pé, os soldados teriam trocado tiros com militantes. Vários insurgentes do Estado Islâmico foram mortos, afirmam as autoridades. Um membro das forças especiais sofreu ferimentos leves. Fonte: Dow Jones Newswires.