AP Photo/Juan Karita
AP Photo/Juan Karita

Evo amarga nova derrota nas urnas: 65% anulam voto em eleição para magistrados

Oposição boliviana fez campanha para que os eleitores votassem nulo ou em branco em pleito que elegeu juízes de quatro instâncias dias depois de Judiciário permitir que o presidente dispute quarto mandato, à revelia de resultado de plebiscito

O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2017 | 18h24

LA PAZ - Após uma campanha em que os opositores do presidente boliviano, Evo Morales, pediram aos eleitores insatisfeitos com o líder que anulassem seu voto, a eleição para magistrados do Judiciário da Bolívia registrou mais de 65% de votos brancos ou nulos, com 80% das urnas apuradas, informaram nesta segunda-feira, 4, as autoridades eleitorais do país. 

Seis dias antes da votação, a Justiça Constitucional boliviana tinha autorizado Evo a disputar o quarto mandato consecutivo, contrariando o resultado do plebiscito realizado em fevereiro de 2016, no qual 51% dos eleitores negaram ao líder a possibilidade de disputar a presidência novamente.

No domingo, 3, os bolivianos votaram para eleger magistrados de quatro instância judiciais. Evo não reconheceu o que a oposição qualificou como uma derrota do líder. 

+ Liberado por decisão do Supremo, Evo anuncia candidatura em 2019

“Falaram que 70% dos votos seriam nulos. Onde estão os 70% da direita?”, disse o presidente nesta segunda. A oposição promete protestar nas ruas e buscar instâncias internacionais para combater o que qualifica como “um golpe contra a democracia”.

Caso seja reeleito na próxima eleição presidencial, o líder do Movimento ao Socialismo (MAS) poderá permanecer 19 anos no poder. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.