1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Evo Morales pede para ver filho que acreditava estar morto

- Atualizado: 29 Fevereiro 2016 | 17h 41

Criança é filha de sua ex-namorada Gabriela Zapata, presa na sexta-feira por tráfico de influência; família revelou no fim de semana que ela está viva

LA PAZ - O presidente boliviano, Evo Morales, pediu nesta segunda-feira, 29, aos parentes de sua ex-namorada Gabriela Zapata, presa por tráfico de influência, que lhe permitam conhecer o filho dos dois, que ele acreditava que estava morto. 

"Evidentemente, houve uma divergência sobre a morte do bebê. Eu acreditava nas palavras e na informação da mãe do meu filho que me disse que o bebê havia morrido", disse Morales à imprensa no Palácio Quemado. "Peço à família de Gabriela Zapata que o traga para mim, estou esperando, quero reconhecê-lo. Tenho direito a vê-lo, a conhecê-lo e a cuidá-lo", afirmou. 

A advogada e ex-namorada do presidente Evo Morales Gabriela Zapata é levada por policiais a uma corte em La Paz 

A advogada e ex-namorada do presidente Evo Morales Gabriela Zapata é levada por policiais a uma corte em La Paz 

Uma tia de Gabriela revelou no fim de semana que a criança estava viva, em uma entrevista a um canal local. "Se o menino não for trazido, tenho a obrigação de recorrer às instituições, como juizado de menor, para que se investigue esse fato", afirmou Evo, que desde que se revelou essa versão tem insistido que Gabriela disse a ele que o bebê morreu poucou depois de nascer, quando eles separaram, em 2007. 

A relação entre o presidente, de 56 anos, e Gabriela, de 28, foi revelada no início de fevereiro pelo jornalista boliviano Carlos Valverde causando uma grande polêmica no país. Gabriela, advogada, foi presa na sexta-feira, 26, suspeita de tráfico de influência. Ela é gerente da multinacional chinesa CAMC, signatária de contratos de US$ 566 milhões com o Estado boliviano. 

A denúncia foi feita três semanas antes do referendo constitucional que rejeitou a possibilidade de Evo disputar seu quarto mandato. Ele foi derrotado por 51% a 49% dos votos e analistas dizem que o escândalo contribuiu para sua derrota. 

Presidente boliviano governa o país desde 2006

Presidente boliviano governa o país desde 2006

A pedido de Evo, os contratos do governo com a empresa chinesa são investigados pela Controladoria-Geral do Estado, comandada por um governista, e por uma comissão do Parlamento, no qual o Movimento ao Socialismo (MAS) tem a maioria.

Evo atribuiu sua derrota no referendo à repercussão da denúncia nas redes sociais durante a campanha, que considerou uma "guerra suja".

Quando veio a público a relação que manteve com Gabriela, o líder disse que não tinha voltado a vê-la desde que se separaram em 2007, mas sua versão foi desmentida pela aparição de fotografias de 2015, nas quais posaram juntos durante o carnaval.

O líder justificou que muitas pessoas se aproximam dele para tirar fotos e sua ex-companheira pareceu ser um "rosto conhecido", embora posteriormente tenha percebido que era realmente Gabriela Zapata. / EFE e AFP

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX