AP Photo/Bebeto Matthews
AP Photo/Bebeto Matthews

Ex-chefe da PDVSA na era Chávez é demitido por Maduro de cargo na ONU

Na semana passada, a agência Reuters chegou a noticiar a demissão de Rafael Ramírez, mas sua saída não fora confirmada oficialmente

O Estado de S.Paulo

05 Dezembro 2017 | 15h42

CARACAS - O embaixador da Venezuela nas Nações Unidas, Rafael Ramírez, confirmou nesta terça-feira, 5, que foi destituído do cargo a pedido do presidente Nicolás Maduro. 

+ Maduro amplia poder militar na Venezuela

“Fui demitido por minhas opiniões”, disse ele em uma carta publicada no Twitter.

Na semana passada, a agência Reuters chegou a noticiar a demissão do ex-presidente da PDVSA sob o presidente Hugo Chávez, que tem aumentado as críticas contra Maduro, mas sua saída não fora confirmada oficialmente.

"Venho a você com o objetivo de notificar minha renúncia ao cargo (...) Esta decisão responde aos acordos alcançados em nossa conversa uma vez recebida a instrução do Cidadão Presidente da República de que deixasse o cargo", indica o documento dirigido ao chanceler Jorge Arreaza.

A renúncia de Ramírez, que presidiu PDVSA entre 2004 e 2014, acontece em meio a uma ofensiva contra a corrupção na empresa, fonte de 96% dos recursos do país.

Dois de seus homens mais próximos, Eulogio del Pino e Nelson Martínez, ambos ex-ministros do Petróleo e da PDVSA, foram presos na quinta-feira passada.

Um dia depois, seu primo, o empresário Diego Salazar, foi capturado, o que intensificou as acusações da oposição de que Ramírez é o principal responsável pelo desfalque na empresa.

"Não quero imaginar que agora se intensificarão os ataques e a vilificação por expressar minhas opiniões e estabelecer uma posição de alerta em defesa da revolução", afirmou o ex-embaixador, uma das autoridades de maior confiança do presidente Hugo Chávez, morto em 2013. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.