REUTERS/Fars News/Mehdi Marizad
REUTERS/Fars News/Mehdi Marizad

Ex-presidente diz que Irã considerou desenvolver a bomba nuclear nos anos 80

Em entrevista a uma revista iraniana, Rafsanjani sugeriu que autoridades pensaram sobre uma capacidade de dissuasão durante a guerra com o Iraque, mas a ação não foi concretizada

O Estado de S. Paulo

29 Outubro 2015 | 14h56

DUBAI  - O Irã considerou buscar poder de dissuasão nuclear quando retomou seu programa nuclear nos anos 80 durante uma guerra de oito anos com o Iraque, disse o ex-presidente do país, aiatolá Akbar Hashemi Rafsanjani, segundo uma revista iraniana.

Os comentários de Rafsanjani foram dados em um momento sensível, à medida que o Irã implementa um acordo alcançado com potências mundiais, em julho, com o objetivo de restringir o programa nuclear iraniano e diminuir temores do Ocidente de que o país possa montar uma bomba atômica.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), agência de fiscalização nuclear da ONU, está investigando se o programa nuclear iraniano já teve uso militar. Um relatório está programado para ser divulgado no dia 15 de dezembro. Durante as negociações, o Irã insistiu que o programa tem apenas propósitos pacíficos.

Em entrevista à revista iraniana Esperança Nuclear nesta semana, Rafsanjani sugeriu que autoridades pensaram sobre uma capacidade de dissuasão quando o programa nuclear foi reiniciado, mas a ação não foi concretizada. O programa nuclear iraniano começou a ser desenvolvido nos anos 50. Após a revolução de 1979, chegou a ser interrompido temporariamente, mas foi retomado na década seguinte. 

"Quando começamos, estávamos em guerra e buscamos ter a possibilidade para o dia que o inimigo pudesse usar uma arma nuclear. Este era o pensamento. Mas nunca se tornou real", disse Rafsanjani na entrevista, reproduzida pela agência de notícias estatal Irna na terça-feira.

Rafsanjani também disse que viajou ao Paquistão para tentar se encontrar com Abdul Qadeer Khan, criador do programa de armas nucleares do Paquistão, que posteriormente ajudou a Coreia do Norte a desenvolver uma bomba, mas não se encontrou com ele. / REUTERS 

Mais conteúdo sobre:
Irã Iraque Akbar Hashemi Rafsanjani

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.