1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Ex-presidentes do México criticam Trump e seu 'muro estúpido'

- Atualizado: 26 Fevereiro 2016 | 11h 26

Vicente Fox e Felipe Calderón afirmam que insultos dos republicanos mostram nova e alarmante forma de racismo anti-mexicano; Joe Biden pede desculpas na capital mexicana

CIDADE DO MÉXICO - Dois ex-presidentes do México disseram na quinta-feira, em entrevistas separadas, que a retórica xenófoba de Donald Trump e de outros pré-candidatos republicanos danificou as relações entre EUA e México e mudou a forma como muitos mexicanos veem os americanos. Vicente Fox e Felipe Calderón, que lideraram o país de 2000 a 2012, afirmaram que os insultos dos republicanos mostram uma nova e alarmante forma de racismo anti-mexicano. 

"Trump está afirmando essas coisas estúpidas, mas o problema é que 40% dos republicanos dizem: 'sim, você está certo'", criticou Fox, de 73 anos, ex-executivo da Coca-Cola que se identificava com o Partido Republicano. "Ele estão ouvindo seu profeta dizendo que os levará para a terra prometida, mas acabarão todos sendo guiados para o deserto e morrerão de fome e sede. Ele é um falso profeta."

Em evento no México, vice-presidente dos EUA, Joe Biden, pediu desculpas pelas ofensas de pré-candidatos republicanos

Em evento no México, vice-presidente dos EUA, Joe Biden, pediu desculpas pelas ofensas de pré-candidatos republicanos

Ao ser questionado sobre a proposta do magnata imobiliário de Nova York, que lidera as corrida republicana, de que o México pague pela construção de um muro separando os dois países, Fox disse bruscamente: "F***-**".

"Na minha opinião, o partido deveria exigir que ele respeitasse não só os mexicanos, mas também o papa Francisco e os muçulmanos. O Partido Republicano deixou essa situação ir longe demais. Está ridículo", disse Fox.

Outro ex-presidente mexicano, Calderón, cuja administração trabalhou em parceria com Washington, disse que a proposta de Trump é inútil porque não impedirá a imigração ilegal para os EUA, alimentaria o sentimento antiamericano e minaria as relações dois países.

"Boa colaboração entre governos é uma forma mais segura de proteger os EUA do que qualquer muro estúpido. Não pagaremos um único centavo para essa Idea estúpida. É uma proposta patética e Trump é um completo demagogo", disse Calderón.

O ex-presidente também destacou que nos últimos anos mais mexicanos estão voltando para o país do que entrando nos EUA. Segundo estudo recente do Pew Research Center, entre 2009 e 2014 cerca de 870 mil mexicanos tentaram entrar nos Estados Unidos enquanto que cerca de 1 milhão deles que viviam no país vizinho voltaram para casa.

"Trump ignora esses números. E, qualquer um que ignore uma coisa tão importante é, sem dúvidas, uma pessoa ignorante", afirmou Calderón.

Desculpas. Na quinta-feira, o vice-presidente americano, Joe Biden, pediu desculpas ao México pela "retórica prejudicial" na campanha para definir os candidatos à presidência de seu país, que registrou falas contra os imigrantes mexicanos.

Houve muita "retórica prejudicial" e "quase sinto a obrigação de pedir desculpas por esta campanha presidencial", disse Biden na residência oficial de Los Pinos em mensagem à imprensa ao lado do líder mexicano, Enrique Peña Nieto.

Esta retórica "acalorada" de alguns candidatos à Casa Branca "não representa quem nós somos, o povo dos Estados Unidos. Não é a opinião da maioria das pessoas do meu país, é o oposto", garantiu.

O vice-presidente americano destacou que a grande maioria dos americanos e dos mexicanos "passa quase o dia todo tentando ganhar a vida para dar de comer a seus filhos, pagar suas despesas e manter uma família".

México e EUA têm uma troca comercial de mais de US$ 1,5 bilhão ao dia e "seis milhões de trabalhadores americanos têm um trabalho" graças ao comércio com este país, apontou.

"Os Estados Unidos vendem mais ao México que ao Brasil, Rússia, Índia e China em conjunto" e 80% das exportações mexicanas vão para os EUA, afirmou Biden, que em um evento prévio qualificou de "perigoso" o discurso de vários pré-candidatos republicanos.

"Somos uma nação de migrantes", afirmou o vice-presidente na inauguração na capital mexicana da terceira rodada do Diálogo Econômico de Alto Nível (DEAN) entre ambos países. / WPOST e EFE

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX