1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Executiva da GM depõe à Câmara dos EUA

AE - Agência Estado

01 Abril 2014 | 18h 09

A General Motors contratou Ken Feinberg, advogado famoso por administrar um fundo de compensação para as vítimas do 11 de setembro, para aconselhar a montadora sobre como lidar com os defeitos encontrados em alguns modelos fabricados pela companhia que causaram a morte de pelo menos 13 pessoas.

A informação foi revelada pela executiva-chefe da GM, Mary Barra, em depoimento à Câmara dos EUA hoje. Barra não disse se a GM vai criar um fundo de compensação para as famílias das vítimas dos acidentes provocados por problemas na ignição de alguns carros da empresa. No entanto, a executiva prometeu que a GM vai "estabelecer um novo padrão" em resposta a esses casos. A GM está sob pressão pública para compensar as famílias dos mortos em acidentes com seus carros.

"Nós sabemos que a GM falhou em revelar informações sobre o defeito na ignição enquanto negociava uma proteção contra falência", afirmaram grupos de interesse público em uma carta enviada a Barra. "Você diz que a GM está concentrada em garantir a segurança e a paz de espírito dos clientes envolvidos no recall. Se isso é verdade, livrar seus antigos clientes do ônus irracional dessa concordata e criar um fundo fiduciário para ajudar todas as vítimas deve ser seu primeiro passo", acrescentaram.

Na audiência de Barra com os parlamentares, o deputado democrata Henry Waxman também pediu que a GM tome ações a favor das vítimas. "Acho que a GM precisa compensar as vítimas", disse. "Eles não podem se esconder atrás da concordata, têm de assumir seus erros", defendeu.

A GM anunciou recall de 2,6 milhões de veículos por problemas no cabo de ignição. Ontem a montadora chamou mais 1,5 milhão de veículos para conserto e mais do que dobrou para US$ 750 milhões sua estimativa sobre o impacto que os recalls - que agora somam 6,3 milhões de carros e caminhões - terão sobre seus resultados no primeiro trimestre deste ano.

Barra depôs hoje ao Subcomitê de Supervisão e Investigações do Comitê de Comércio e Energia da Câmara dos EUA, presidido pelo deputado republicano Tim Murphy. Fonte: Dow Jones Newswires.