AP Photo/Farah Abdi Warsameh
AP Photo/Farah Abdi Warsameh

Exército dos EUA mata 13 terroristas do Al-Shabab na Somália

Forças americanas conduziram um ataque aéreo contra combatentes do Al-Shabab

O Estado de S.Paulo

27 Dezembro 2017 | 14h30

WASHINGTON - O Exército dos Estados Unidos, em uma operação coordenada com as autoridades locais, efetuou no último dia 24 de dezembro um ataque aéreo contra combatentes do grupo terrorista Al-Shabab na Somália, no qual foram abatidos 13 jihadistas, informaram nesta quarta-feira, 27, fontes militares.

"Em coordenação com o Governo Federal da Somália, forças americanas conduziram um ataque aéreo contra combatentes do Al-Shabab na manhã de 24 de dezembro de 2017, no sul da Somália, matando 13 terroristas", informou o comando militar dos EUA na África (Africom) através de um comunicado.

+++ Leia também: Número de mortos em atentado na capital da Somália passa de 300

Em nota, as Forças Armadas reiteram sua intenção de "usar todas as medidas autorizadas e apropriadas" a fim de "proteger os EUA, seus parceiros e interesses" e de "impedir" que os grupos terroristas presentes na região tenham acesso a zonas seguras.

Os EUA colaboram com as Forças de Segurança Nacional da Somália na luta contra o terrorismo, atacando os jihadistas e executando bombardeios sobre seus refúgios e seus campos de treinamento.

Ao longo do ano, o país africano sofreu vários atentados terroristas, entre os quais cabe destacar o ataque com caminhões-bomba perpetrado no último dia 14 de outubro em Mogadíscio, que deixou 358 mortos e 56 desaparecidos.

Por este motivo, nos últimos meses o Exército americano está intensificando suas operações de combate na Somália, em ações igualmente coordenadas com as autoridades locais, nas quais morreram um número indeterminado de terroristas.

O Al-Shabab, que em 2012 se filiou à rede internacional da Al Qaeda, controla parte do território no centro e no sul do país e tenta instaurar um Estado islâmico de caráter wahhabista na Somália. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.