Exércitos de EUA e Coreia do Sul concluem exercícios anuais conjuntos

Nos exercícios deste ano, que começaram no início de março, participaram mais de 10 mil soldados americanos e centenas de milhares de efetivos sul-coreanos

O Estado de S.Paulo

30 Abril 2017 | 08h32

SEUL - Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos finalizaram neste domingo, 30, suas manobras anuais conjuntas Foal Eagle, que neste ano foram as maiores até hoje e coincidiram com um período de máxima tensão na península coreana.

As autoridades militares da Coreia do Sul anunciaram que os exercícios Foal Eagle, que envolveram forças de infantaria, navais e aéreas sul-coreanas e americanas, foram concluídos neste domingo 'como estava previsto', informou a agência 'Yonhap'.

Nos exercícios deste ano, que começaram no início de março, participaram mais de 10 mil soldados americanos e centenas de milhares de efetivos sul-coreanos, o que os converteu nos maiores deste tipo já realizados na península da Coreia.

Como vem sendo habitual, o regime da Coreia do Norte, que considera todas estas manobras um ensaio para a invasão de seu território, criticou com firmeza os exercícios militares que, além disso, coincidiram com um período de especial tensão na região entre Washington e Pyongyang.

O término dos exercícios conjuntos acontece um dia depois que o regime norte-coreano realizou seu último teste de mísseis, o lançamento de um projétil balístico que explodiu poucos minutos após a decolagem, segundo confirmaram Washington e Seul.

Os Estados Unidos, por sua vez, decidiram enviar seu porta-aviões de propulsão nuclear USS Carl Vinson à região como resposta aos numerosos testes de mísseis da Coreia do Norte.

O exercício, que aconteceu durante duas semanas de março e que têm como objetivo preparar respostas para possíveis 'provocações' de Pyongyang, coordenou em solo sul-coreano manobras sobre o terreno e exercícios de artilharia através de uma simulação por computador. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.