1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Explosão de carro-bomba mata pelo menos 11 em Bagdá

Estadão Conteúdo

26 Agosto 2014 | 11h 17

O carro cheio de explosivos foi detonado no horário de pico da manhã na principal área comercial do bairro de Nova Bagdá

THAIER AL-SUDANI/REITERS
O ataque desta terça-feira aconteceu um dia depois de uma onda de investidas em regiões xiitas de várias cidades

Um carro-bomba explodiu nesta terça-feira numa movimentada área xiita no leste de Bagdá, matando pelo menos 11 pessoas, disseram autoridades. Trata-se do mais recente ataque na capital iraquiana no momento em que o governo xiita luta para expulsar militantes sunitas do grupo Estado Islâmico das regiões oeste e norte do país.

O carro cheio de explosivos foi detonado no horário de pico da manhã na principal área comercial do bairro de Nova Bagdá. O veículo estava estacionado perto de feiras de vegetais e de animais realizadas a céu aberto e de um escritório da polícia de tráfego, disse um policial. O ataque também deixou 31 feridos, afirmou a fonte. Um funcionário da área médica confirmou o número de vítimas. As duas fontes falaram em condição de anonimato, porque não estão autorizadas a falar com meios de comunicação.

O ataque desta terça-feira aconteceu um dia depois de uma onda de investidas em regiões xiitas de várias cidades, incluindo Bagdá, que deixou 58 mortos. Dentre as vítimas estavam 15 fiéis que morreram durante um ataque suicida a uma mesquita xiita no mesmo bairro de Nova Bagdá onde o carro-bomba explodiu nesta terça-feira.

Em comunicados publicados na internet, o grupo Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pelo ataque à mesquita na segunda-feira e ao bairro xiita de Utaifiya, também na capital, onde dois carros-bomba destruíram uma área comercial próxima a um restaurante lotado e mataram pelo menos 15 pessoas.

Em dois tuítes separados, o grupo assumiu a autoria das explosões de carros na reverenciada cidade xiita de Kerbala e na cidade de Hillah, ao sul de Bagdá, que juntas deixaram 23 mortos no mesmo dia.

A autenticidade das declarações e dos tuítes não pôde ser verificada de forma independente, mas foram postados num site militante e em contas do Twitter geralmente usados pelo grupo militante. Nenhum grupo havia ainda assumido a autoria dos ataques desta terça-feira. Fonte: Associated Press.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo