Explosivos: novo vídeo do Iraque complica versão de Bush

Um vídeo gravado por uma equipe de televisão americana que acompanhava as tropas americanas responsáveis pela abertura do depósito de armas de Al-Qaqaa no Iraque, nove dias após a queda de Saddam Hussein, mostra o que parecem ser barris cheios de altos explosivos, ainda com o lacre da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). O vídeo reforça a idéia de que os explosivos, atualmente desaparecidos e talvez nas mãos de terroristas, foram roubados do local após a ocupação do Iraque pelos EUA. As imagens foram transmitidas em rede nacional na quinta-feira. "As fotografias são consistentes com o que eu sei sobre Al-Qaqaa", disse David Kay, americano que comandou uma caçada às armas proibidas de Saddam Hussein, segundo o jornal New York Times. "O pior são os lacres. Os iraquianos não lacravam nada. Tenho certeza absoluta de que os lacres são da AIEA". A questão do destino dos explosivos de Al-Qaqaa tornou-se um ponto fundamental na campanha presidencial americana. O candidato democrata, John Kerry, diz que o desaparecimento do material, que até a guerra estava sob supervisão da AIEA, é uma nova prova de incompetência do governo americano na condução da guerra. O presidente George W. Bush defende-se dizendo que o material deve ter sido removido antes da invasão do país.

Agencia Estado,

29 Outubro 2004 | 13h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.